sexta-feira, fevereiro 03, 2012

[Alimentação Escolar] REDE BRASIL RURAL - Lançamento na Bahia

A Bahia sediará, no próximo dia 7 de fevereiro, o lançamento da Rede Brasil Rural, ferramenta virtual criada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para fortalecer a agricultura familiar aproximando produtores, indústrias, agentes de logística e setor público. O estado foi escolhido para sediar o lançamento regional do Nordeste por ter o maior número de agricultores familiares do país  - são mais de 665 mil estabelecimentos. O lançamento acontece no auditório da Secretaria de Estado de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária da Bahia (Seagri), às 14h30, com a presença do ministro Afonso Florence e do governador da Bahia, Jaques Wagner.
Além do ato de lançamento, dirigentes e representantes de cooperativas de agricultores da Bahia aprenderão, num curso de capacitação ministrado pelo MDA nos próximos dias 6 (à tarde) e 7 (pela manhã), como operar suas compras e vendas usando a Rede Brasil Rural. Após o término da oficina, será realizado o ato público que marcará o lançamento oficial da RBR no Nordeste.
Por meio do portal, lançado em Porto Alegre, em 13 de dezembro de 2011, agricultores familiares de todo o Brasil, representados por suas associações e cooperativas, negociam diretamente com fornecedores e empresas de transporte a compra e a entrega de insumos necessários para qualificar ainda mais a sua produção. A pesquisa eficiente e as compras coletivas garantem melhor preço de insumos e matérias-primas, além de permitir à agricultura familiar reduzir os custos dos produtos, de transporte e de estocagem.
Depois de explicar o funcionamento da Rede Brasil Rural, os instrutores do MDA responsáveis pelas oficinas de capacitação também começarão a fazer o cadastramento das cooperativas e associações de agricultores familiares da Bahia e de outras regiões do Nordeste na RBR. Inicialmente, o MDA realizará as oficinas em dez estados (Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Ceará, Pernambuco, Pará e Espírito Santo) escolhidos por apresentarem maior número de Declarações de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP).
Criada pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) do MDA, a DAP é utilizada como instrumento de identificação do agricultor familiar para acessar políticas públicas, como o Pronaf. Para obtê-la, o agricultor familiar deve dirigir-se a um órgão ou entidade credenciado pelo MDA, munido de CPF e de dados acerca de seu estabelecimento de produção (área, número de pessoas residentes, composição da força de trabalho e da renda, endereço completo). A capacitação  prosseguirá durante o mês de fevereiro.
Destaque para o Semiárido
A produção da agricultura familiar na Bahia é bastante diversificada. Segundo informa o delegado federal titular da Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário na Bahia (DFDA-BA/MDA), Welliton Rezende Hassegawa, no semiárido ? onde se encontra mais da metade dos municípios baianos ? destacam-se os empreendimentos da agroindústria familiar que beneficiam produtos como o mel, leite (em especial o beneficiamento para a produção do leite em pó), doces derivados de frutas nativas (em particular frutas da caatinga como umbu, goiaba, maracujá do mato, caju), castanha de caju, derivados da mandioca (desde a fécula ou goma, até produtos como beiju e biscoitos), derivados da cana-de-açúcar (em especial a cachaça e rapadura).
?Também são encontradas cooperativas que beneficiam o cacau (chocolate, chocolate em pó, doces), carne de cabrito e cordeiro, artesanato de fibras naturais como o sisal, palhas de bananeiras, cipó e outras matérias-primas", acrescenta Welliton.
Ao todo, estima-se que existam mais de 200 cooperativas de produção na Bahia, inclusive contemplando as cooperativas organizadas exclusivamente por mulheres. Destas, mais de 70 são filiadas à Unicafes, e outras dez são filiadas à Unisol Brasil. ?Atualmente, cerca de um terço destas possuem DAP Jurídica. Apesar dos avanços nesta última década na organização destas cooperativas, ainda há muito para se desenvolver nesse segmento no Estado?, avalia o delegado.
Otimismo entre as cooperativas
O lançamento da Rede Brasil Rural no Nordeste enche de esperança as cooperativas que pensam em baratear seus custos, aumentar a produção e até contratar mais trabalhadores. É o caso da Coopercuc, localizada em Uauá (BA), e que ainda agrega cooperados dos municípios baianos de Curaçá e Canudos; e da Cooperúnica, na Paraíba, que reúne os 12 grupos do Talentos do Brasil, entre os quais as mulheres bordadeiras do coletivo Dois Pontos, no município de Alagoa Nova.
A Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), criada em 2004, trabalha com o fruto do umbuzeiro, árvore que domina a paisagem do único bioma exclusivamente brasileiro e mais expressivo da região Nordeste, a Caatinga, no semiárido da Bahia. O umbu ? do tupi-guarani ?árvore que dá de beber? ? é responsável pela sustentabilidade e fonte de renda para mais de 180 cooperados e 400 famílias dos três municípios baianos.
É a partir dos derivados do umbu que a cooperativa produz geleias e compotas, além de doces de goiaba, manga e maracujá da Caatinga, produzidas em 18 mini fábricas instaladas em comunidades rurais dos municípios de Canudos, Uauá e Curaçá, no Território da Cidadania Sertão do São Francisco, e centralizada na sede da Cooperativa, em Uauá. Tudo com a marca da produção orgânica e da preservação do bioma.
?Para nós, esse portal caiu do céu; há muito tempo nós sonhávamos com algo parecido, mas que era impossível de se fazer sozinho. Quando a cooperativa surgiu, a ideia era produzir para o sustento das famílias. Depois vieram os pedidos de vizinhos que queriam enviar os doces para os parentes que moravam longe e, assim, fomos crescendo. Agora, graças ao MDA, vamos dar passos maiores, aumentando a nossa produção e as nossas vendas?, comemora o presidente da Coopercuc, Adilson Ribeiro dos Santos.
Segundo Adilson, a maior parte dos produtos da Coopercuc é vendida para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do MDA ou distribuída na merenda escolar, com vendas em vários estados do país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte e em várias cidades da Bahia. Os produtos da Coopercuc também já chegaram à Europa. Em 2011, a cooperativa participou da Biofach, a maior feira mundial de produtos orgânicos, realizada em Nuremberg, na Alemanha, e comercializou para uma empresa da Áustria 30 mil unidades de sua cartela de dez produtos à base de umbu, maracujá da Caatinga e goiaba, com certificação orgânica e de comércio justo.
Na Paraíba, a expectativa da presidente da Cooperativa Central Única das Artesãs (Cooperúnica), Ana Glória, é ainda mais otimista. ?A Rede Brasil Rural vem para acabar com o nosso problema, que hoje está na comercialização. Vamos poder adquirir a matéria-prima junto aos fornecedores a um custo menor. A parceria com os Correios também é fantástica, pois gastamos muito com Sedex. Às vezes, o frete chega a sair mais caro que o produto, o que prejudica muito o negócio?, explica.
A dirigente acredita que, a partir do aumento da produção e da renda proporcionados pela Rede Brasil Rural, a Cooperúnica deve passar a empregar mais bordadeiras. ?São mais de duas mil mulheres trabalhando com cerca de dois mil produtos diferenciados. Não tem como não dar certo?, enfatiza Ana Glória. Atualmente, a Cooperúnica reúne 18 cooperativas em 12 estados e tem 90% de mulheres entre seus integrantes.
Como cooperativa dedicada à moda sustentável, a Cooperúnica participa do Programa Talentos do Brasil, coordenado pelo MDA, e está lançando uma coleção de sandálias feitas exclusivamente para a Copa do Mundo de 2014. Produzidas com 30% de borracha da floresta amazônica e criadas para a campanha de valorização da marca ?Eu amo o Brasil?, as sandálias já estão sendo vendidas para as redes de supermercados


Catálogo para hotéis
Entre os estabelecimentos que deverão se beneficiar com o lançamento da Rede Brasil Rural na Bahia estão os hotéis de luxo do estado, que já adquirem os alimentos produzidos pela agricultura familiar. Em 25 de novembro do ano passado, a Associação Brasileira de Hotéis da Bahia (Abih-BA), em parceria com o governo do Estado e o MDA, promoveu um jantar com produtos da agricultura familiar.
O evento, realizado no Dia do Hoteleiro, marcou o lançamento de um catálogo com opções de alimentos produzidos pela agricultura familiar baiana e que poderão ser adquiridos pela rede hoteleira baiana do estado para satisfazer o paladar exigente de seus hóspedes e turistas. A publicação foi elaborada pela União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Estado da Bahia (Unicafes-BA), em parceria com o MDA, o governo do estado da Bahia, a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), os bancos do Brasil e do Nordeste, Sebrae e Conab.
?Nessa festa, lançamos para o trade os produtos da cesta competitiva da agricultura familiar, que foi bastante elogiada tanto pela diversidade dos itens como pela qualidade dos mesmos", lembra o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA), José Manoel Garrido.
Do cardápio do jantar promovido pela ABIH-BA constaram somente alimentos fornecidos por cooperativas baianas de agricultores familiares. O prato principal ? cordeiro e tilápia ?, bem como a entrada, as caipifrutas e até as sobremesas ? doces, chocolates e frutas ? foram todos produzidos pela agricultura familiar. Até as flores usadas na decoração foram cultivadas pelos pequenos agricultores baianos.
Segundo Manoel Garrido, em março deste ano a entidade vai oficializar o convênio com o MDA oferecendo um café da manhã aos responsáveis pelas compras dos hotéis e mostrando a eles a potencialidade e a diversificação dos produtos resultantes dessa parceria, da qual também fazem parte a Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária do Estado da Bahia (Seagri) e a Superintendência de Agricultura Familiar (Seagri/Suaf).
?A Seagri vai disponibilizar os produtos numa central de abastecimento onde poderemos solicitar as compras, evitando, assim, os intermediários que aumentam os custos e eliminam a vantagem da venda direta?, informa Garrido.
Segundo o superintendente de Agricultura Familiar do governo do estado da Bahia, Wilson Dias, das cerca de 200 cooperativas atualmente existentes no estado 25 são certificadas dentro do padrão de qualidade que as habilita a fornecer produtos para a rede hoteleira baiana.
Agricultura familiar tem mais de 665 mil estabelecimentos na Bahia
Serviço
Evento: Lançamento da Rede Brasil Rural na Região Nordeste
Data: 7 de fevereiro (terça-feira)
Local: Auditório da Secretaria de Estado de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária da Bahia (Seagri)
Endereço: Av. Luiz Viana Filho, 4ª avenida, nº 405, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), Salvador - Bahia
Horário: 14h30

Fonte: MDA 


Para vosso conhecimento, divulgação e participação...
 
Atenciosamente: Neliane Rios
Base de Serviço de Apoio a Comercialização
Territorio de Identidade da Bacia do Jacuípe
MDA/SDT/ASCOOB
Tel. 75 81191225

Nenhum comentário:

Torpedos Grátis

Paróquia Pintadense

Portal Bacia do Jacuípe

Polo Pintadas UAB

Secretaria de Educação

Colégio Normal de Pintadas

Localizar no Site